quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Origem do Violão

Os instrumentos de cordas pulsadas originaram-se da Lira dos antigos Gregos e Egípcios. Universalmente conhecido como guitarra, o violão, pertence ao grupo de instrumentos de cordas pulsadas que se dividem em:
Providos de haste ou braço (Guitarra, Alaúde, Vihuela).
Sem haste ou braço (Harpa, Lira).
A origem da guitarra (violão) propriamente dita é muito confusa, provavelmente tenha a mesma origem dos outros instrumentos de corda pulsada: Alaúde, Vihuela, etc. Durante o renascimento, em toda a Europa, o instrumento que predominava era o Alaúde, com exceção da Espanha, onde o instrumento predominante era a Vihuela.
Os musicólogos que se dedicam ao estudo da guitarra (violão) dividem-se entre duas hipóteses sobre a sua verdadeira origem:
A de que o instrumento teria derivado do alaúde Caldeu-Assírio que os Egípcios, Persas e Árabes levaram para a Espanha;
A de que o instrumento seria resultado de sucessivas transformações a partir da Kethara Grega ou Assíria, precursora da Cítara ou Fidícula romana, da Rotta ou Crotta medieval inglesa e, finalmente, da Vihuela espanhola do Século XVI.
É quase certo que ao chegarem à Espanha com seus Alaúdes, os Árabes já tenham encontrado lá a vihuela. Nas Cantigas de Santa Maria, do rei Alfonso X, El Sábio (1221 – 1284), rei de Castela de 1221 a1284, apareciam ilustrações de dois tipos distintos de guitarra, uma oval, com incrustações e desenhos Árabes, mas nas mãos de um músico Mouro, que seria a guitarra mourisca; outra em forma de oito, com incrustações laterais, tocada por um músico de feições romanas, que seria a guitarra latina.
Cem anos mais tarde, no século XIV, Guillaume de Machault cita em suas obras a guitarra mourisca e a guitarra latina. No século XVI na Espanha, a guitarra mourisca com quatro coros de cordas, era usada para acompanhar cantos e danças populares, enquanto que a guitarra latina – a vihuela, pertencia ao músico culto da corte. A Vihuela tinha três denominações distintas: vihuela de mano (em nada diferente do violão atual), vihuela de arco e vihuela de plectro.
A vihuela de mano constava de cinco cordas duplas mais a primeira que era simples. Os vihuelistas além de precursores dos guitarristas do século XVII, foram também criadores de métodos e formas musicais que serviriam de base para toda a música instrumental que viria depois.
A vihuela vai desaparecer devido a busca de novos recursos e maior intensidade sonora. O povo porém fiel à guitarra, continua descobrindo novos caminhos para ela, utilizando-a inicialmente para os rasgueados e acompanhamento do canto. Devido ao seu grande uso na Espanha, a guitarra passa a ser conhecida nos demais países como Guitarra Espanhola, sendo que o seu período de triunfo ocorrerá no século XVII.


COSTA, Clarissa L. da. Uma Breve História da Música Ocidental. São Paulo: Ars Poética, 1992.
DUDEQUE, Norton. História do Violão. Curitiba: UFPR, 1994.
GRUNFELD, Frederic V. The Art and The Times Of The Guitar.
MAGNANI, Sérgio. Expressão e Comunicação na Linguagem da Música. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1989.
OLIVEIRA, C. Bellezi de. Arte Literária Portugal - Brasil. São Paulo: Moderna.
RAGOSSNIG, Konrad. Handbuch Der Guitarre Und Laute. Mainz: Schott, 1978.
VIGLIETTI, Cedar. Origen e Historia de La Guitarra. Buenos Aires: Editorial Albatros, 1976.
AZPIAZU, José de. La guitarra e los guitarristas. Buenos Aires: Ricordi, 1961.

Nenhum comentário:

Postar um comentário